terça-feira, 6 de maio de 2014

Colin Fischer - Ashley Edward Miller & Zack Stentz

Colin Fischer
Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…

Páginas: 176
Editora: Novo Conceito
Avaliação:


O Que Achei do Livro:
Colin Fischer é um menino de 14 anos que é portador da síndrome de Asperger, uma sindrome relacionada ao autismo diferenciando-se em conseguir se socializar, mas dentro disso ter dificuldades para comunicar-se, ter um QI mais avançando, entre outras diferenças. Entretanto, Colin vive em seu pequeno mundo junto do seu caderno cheio de orelhas onde registra tudo o que se passa com as pessoas ao seu redor e as diversas expressões faciais as quais tenta decifrar.

Logo em seu primeiro dia de aula no Ensino Médio do colégio West Valley, Colin volta mais cedo para casa após Wayne Connelly ter enfiado sua cabeça no vaso sanitário. Para piorar a situação o professor de Educação Física não aceita o atestado de Asperger de Colin, portanto obriga o garoto a participar das aulas de basquete e campeonatos, mas o objetivo do professor é ensinar Colin a se defender e mostrar aos seus colegas seu conhecimento no jogo.
"Para Colin, isso se aplicava a todas as matérias. Aprender uma coisa era saber essa coisa; saber uma coisa era entender essa coisa; entender uma coisa era enfrentá-la sem medo".

No aniversário de Melissa Greer, uma amiga que Colin considera boa em matemática e muito interessante, durante a festa que acontece na cantina da escola uma pistola Beretta 92F de nove milímetros é disparada e o principal suspeito de ter disparado é Wayne Connelly, mas Colin sabe que ele é inocente e fará de tudo para provar isso.


Assim que chegou Colin Fischer já coloquei o livro como minha próxima leitura, pois adorei a sinopse e fiquei ansiosa aguardando seu lançamento. Comecei a ler com a intenção de que iria demorar um ou dois dias para terminar, mas a estória não me prendeu e demorei mais que o previsto.

O enredo criado pelos autores Zack e Ashley é bom, mas achei todo mistério algo comum demais e espero que Colin Fischer tenha uma continuação, pois o final foi exatamente algo que eu já tinha previsto que iria acontecer e algumas coisas com os personagens foram deixadas em aberto.
No inicio do livro quando conheci as manias, forma que Colin se expressa, seus pensamentos e atitude, já suspeitei que o protagonista teria síndrome de Asperger, mas ao ler somente a sinopse julguei o personagem como um nerd que deve sofrer bullying e está prestes a ajudar um colega suspeito de ter trazido uma arma para a escola. Depois disso nunca vou julgar um personagem através da sinopse (fato). 
Colin é um personagem surpreendente, assim como o Sr.Torrentine que é seu professor de educação física, um personagem que me agradou bastante e conseguiu tornar Colin um menino mais seguro de si.

Achei a diagramação ótima, assim como a fonte e a capa que é linda. A leitura é leve e o livro é indicado para quem gostaria de ler algo rápido para passar o tempo. Os capítulos são curtos e a estória é dividida em três partes.
A primeira e a segunda parte foram as que mais demoraram para eu ler, mas logo na terceira (final) já me prendi um pouco mais no livro e gostei do desfecho.
Ainda não foi anunciado uma continuação para Colin Fischer, entretanto vamos cruzar os dedos para que Ashley Edward e Zack Stentz se unam novamente para escrever um segundo livro com mais um mistério a ser desvendado.

Agradeço a editora parceira Novo Conceito por ter me mandado esse livro para resenha.
Recomendo!

Trechos do livro:
"Confio na matemática e não nas pessoas. A matemática produz melhores decisões".

"O comportamento humano é um mistério que não pode ser resolvido nem totalmente compreendido em termos matemáticos. Ele simplesmente precisa ser vivenciado".

"Ele não gostava absolutamente de auditórios por causa das multidões, do cheiro e do barulho. Com o tempo, aprendeu a lidar com os três, fechando os olhos, respirando pela boca e permitindo que as vozes contrastantes se fundissem em um ruído contínuo de fundo".

0 Assuntos:

Postar um comentário