sábado, 2 de fevereiro de 2013

O Começo do Adeus - Anne Tyler

O Começo do Adeus
Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

Páginas: 208
Editora: Novo Conceito
Avaliação:


O Que Achei do Livro:
Aaron é um homem de 36 anos que tem deficiência no braço e na perna direita e trabalha numa editora não muito famosa. Ele vive uma vida "quase normal" ao lado da esposa Dorothy.
Aaron sempre foi apaixonado pela esposa, mas ao contrário ela não mostra muito interesse no relacionamento e grande parte do dia trabalha no hospital.

Os dois não são bem o tipo de casal "apaixonado", mas gostam de ficar perto um do outro. Tudo muda quando uma árvore cai em cima da casa e acerta Dorothy, ela não resiste aos ferimentos e morre.
"Eu esperei e esperei. Fiquei em suspenso por dias a fio, 
esperando que ela voltasse".

Aaron fica em estado de choque após a morte de sua mulher, ele não consegue mais viver a mesma vida de antes e não consegue entrar em sua própria casa após o acidente. Sua irmã o convida para morar junto dela, Aaron aceita, mas ele sente mal por isso, pois antes de ter conhecido Dorothy ele ficava aos cuidados da irmã que não desgrudava nunca dele.

Aaron se sente mal e abalado por nunca ter falado tudo o que quis para sua mulher enquanto ela estava viva. Dorothy começa a aparecer para Aaron como se fosse um espirito, mas ele não sabe que as aparições de sua esposa são apenas loucuras da sua cabeça.
Aaron precisa aprender a se despedir e continuar sua vida, mal sabe ele que tudo é apenas uma questão de tempo para o começo do adeus.


Assim que peguei o livro para ler fui direto ler a sinopse e logo pensei que iria ser uma história emocionante e bem romântica, mas... não é nada disso não.
O Começo do Adeus é um livro de ficção, mas com uma pequena pitada de auto-ajuda. Achei a história cansativa e chata, por mais que eu tenha lido ele em apenas 2 dias.

Não gostei nem um pouco do começo e do meio do livro, pois Aaron fica nos contando a sua história, sua rotina e no meio disso ele muda o contexto e fala de coisas que não fazem nenhum sentido e é tipo... nada vê (?).
Em relação ao final foi algo que eu gostei bastante e merecido de ter ganhado uma estrela na avaliação.

A leitura é bem rápida, o livro contém poucas páginas e a fonte é média. A capa não é uma das mais bonitas e assim como a sinopse, não tem nada a ver com a história.
Não gostei muito dos personagens, exceto a irmã de Aaron que fez a história se tornar melhorzinha na minha opinião.

A narrativa de Aaron é como se ele estivesse logo na nossa frente contando partes de sua vida e antes de terminar muda completamente de assunto.
Na maioria das partes eu ri, pois Aaron falava coisas tão sem sentido que acabei achando engraçadas algumas partes, como por exemplo quando sua mulher morre e ele fica olhando os seios dela e fica irritado ao chamarem pelo seu nome (?).
Enfim... não gostei muito da história, mas ela poderia ter sido melhor se fosse escrita pelo Nicholas Sparks (Brincadeirinha).

Agradeço a editora parceira Novo Conceito por ter me mandado esse livro para resenha.
Esse é um livro que eu não recomendo, mas cada pessoa gosta de um tipo de leitura, então fica a seu critério!

Trechos do livro:
"Discussão idiota. Nós tínhamos discussões assim de vez em quando. E que casal não tem? Não vivíamos num conto de fadas".

"A leitura é a primeira a ir, minha mãe dizia, querendo dizer que era um luxo que o cérebro dispensava sob coação".

"Minha irmã disse que não havia nada de errado com Dorothy, se você não se importasse com uma mulher que tinha as habilidades sociais de um urso panda".

Book Trailer:

2 Assuntos:

Ilinha bandeira disse...

UAU
Gostei da sua resenha,achei a capa do livro lindaaa e muito triste. Se eu ler esse livro vou chorar litros,gosto de leituras leves e finais felizes.
Mas quando vi o livro ia ser publicado pela Novo Conceito, me interessei bastante
Ili Bandeira
http://oclubedameianoite.blogspot.com.br/

Dreamer Girl disse...

Oi Larissa, gostei da tua resenha, mas vou ficar longe desse livro. Não estou em um momento para livros tristes.

Indiquei o Assunto sobre Livros para o Selinho 2013 Literário. Beijos.
http://olhareseleituras.blogspot.com.br/2013/02/selinho-2013-literario.html

Postar um comentário